sábado, 1 de junho de 2013

Falam falanges de folhas ao vento...

Todo coração pulsa de forma sonora
Seguindo a norma louca da hora
Que o faz talvez por um segundo bem.

E movido pela rara falange de anjos:
Folhas falantes, vento cantando,
De lá p’ra cá nos arrastando eles vêm.

E embalando as notas
Nos belmóis e sustenidos que se levantam
S’espalhando e dando vida as folhas mortas

Nós o sentimos vivo
Volvendo-se em cordas por dentro de nós
Mesmo se ainda estamos sós.

Pulsantes sem motivo
Ouçamos essa música que por nós passa
Que sempre ecoante e mágica nos renasça.

E nessas pinceladas
Do tempo contemplemos a nossa dança
De chuva mansa qual avança. . .
 
Luiz Rosa Jr.