domingo, 4 de janeiro de 2009

Jardim D'Outono

Uma voz sussurra ao longe
E eu a procuro por entre o quintal
Que faz jardim d’outono onde
Tudo é nada mais que circunstancional.

Sussurra questionamentos
Como em ecos, ecos, d’imensidão
E não cessa nenhum momento
De dizer meu coração.

As flores no orvalho choram
E murcham e no sopro do vento

Misturam-se no quadro d’invento
Que formam, coram

O chão de cor inexistente,
Não há motivo p’ra ter cor sorridente.

Luiz Rosa JR.