terça-feira, 26 de maio de 2009

A Dança do Poeta

Vem a dançar nessa contradança
Louca d’encantamento chamada poesia,
Valsa do vento de mansa
Palma e cortesia

Nos momentos de certa suavidade
E puro e bom grado coração,
Ao êxtase dum delírio ele em servidão
De sensação escreve amabilidade

E devoção, por aquela que o liberta
Com magia e giros e giros d’encantamento
E vaga fuga e musica liberta
Dos sentidos d’intentos

Espalhados e recolhidos nos ventos. . .
E se põe ele como um louco
A gozar vãs instantes e ah tão poucos,
Se põe a dançar em passos lentos

E se põe a cantar, e se põe a falar
Sem temer sem calar

Como um bêbado a conversar com os ventos.

Luiz Rosa Jr.