sexta-feira, 2 de junho de 2017

Margem Inexistente

À margem do amor está em não se encontrar à margem,
Amar é meramente profundeza, tu sabes do mar
Que não se alcança e nem se ousa domar,
As águas são desconhecidas no itinerário da viagem,

Porém, excitantes e chamativas sereias cantam
E cantam loucura e liberdade,
E te digo marujo vá sabendo da brevidade
Que a vida proporciona e das sereias qu’encantam,

Talvez elas nos enganem, talvez nos levem a tesouros
Ou ilhas desconhecidas do atlântico ou pacífico,
Talvez tudo só seja apenas um mero mito,
E temos nada mais que temores como tantos outros.

A vida se encaminha mesmo na maré absurda
Em que a barca louca sem rota
Em meio a tempestade nem mesmo nota
Que é só perdida qu’encontrará o que decerto busca.

Luiz Rosa Jr.