sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Rápidas imagens oníricas, jornada das folhas

Floresta oculta, templo das folhas e dos ventos, 
Os pequenos rios sussurram puros pensamentos, 
Na cidade estou eu a pensar em aprofundamentos.  

Poss’ouvir um som de longe a girar em círculos, 
Passou por mim com imagens e mágicos vínculos, 
Fez-me dormir, fez-me acordar aos sonhos místicos:  

Toca-me a face um vento tímido 
Numa branda carícia como se a afagar uma criança, 
Um ar úmido que me acorda os sentidos  

Passa ligeiro de forma à mansa 
Mesmo quando eu estou ou tento parecer acordado,  
Uma folha me é notável lá em seu estado  

Livre e aos voos pelos ares a fazer muitas curvas 
Mesmo a ter risco de breve chuva 
E logo vir ao chão desconsolável,  

Mas ainda assim teima a folha em alcançar o céu 
Enquanto o breve vento a sustenta 
E motiva o rápido voo que inventa. 

Luiz Rosa Jr.