quinta-feira, 7 de maio de 2015

Magia das folhas de Outono

Uma doçura sem par
Na leveza que vem de horizontes

De montes talvez distantes

Dos ventos a raspar,
As folhas sobre o chão já caídas
A erguerem-se, e distraídas

Ondularem rodopiantes a qualquer ambiente
De inspiração que me faz ciente,

E pensante como me vou as acompanhando
Feito perfeito louco e sonhando

Com o que nem se sonhou, suspirou, revelou,
O tempo qu’inda não se acertou

Vem-me de companhia sobre o dia que selou.


Luiz Rosa Jr.