domingo, 24 de maio de 2015

Cheiro de chuva e árvores pela madrugada

Aquelas luminosas notas de piano posso ouvir sem dizer nada,
Junto sinto o cheiro fresco da chuva e das árvores pela madrugada.

Vê, há pois um movimento breve de vento tão leve lá fora agora

E uma saudade aqui dentro, percebo que coisas vão embora.
Aquela lembrança é caravela, folha navegando em voo aos ventos,
Uma hora com as garças saindo para o norte acima, outra hora

Abaixo com os peixes à água clara do lago dos pensamentos.
Sei que virás, talvez, e em lágrimas perdidas e ídas
De amena chuva durante o dia te terei como se por toda a vida,

E mesmo a vida não será suficiente, talvez não seja o tempo,
Talvez ainda o piano seja como morno órgão dentro
De uma grandiosa, eterna catedral ou do contido infinito templo,

Porém apesar do sombriar eis a luz nos sons que até ecoam,
Ouve! Ecoam em cada folha e em cada árvore do jardim.

Há uma esperança nesta sonoridade, há pássaros que voam,
E um dia já estaremos juntos, te peço, acredite em mim.


Luiz Rosa Jr.