terça-feira, 20 de julho de 2010

Passagem das folhas e dança na estrada

Cada jornada é longa assim como o vento
Tal qual ess'incrível movimento
Das folhas nesta estrada,

Folhas que logo se dissipam como bolhas,
Outonais, nada mais que folhas,
E na estrada encontrada

Ou inda simplesmente buscada dancemos,
Dancemos o início, o nascimento,
Que parece infinito, mas no entanto pouco temos.

As folhas caem sobre nós, caem sobre nós,
E deveras digo em pouco tempo,
De maneira talvez e tão mágica nós estamos sós

Enquanto as mesmas folhas caem e caem
Sobre nós e nós, podemos contá-las
Ou então nem reparamos se vão e s’esvaem

No momento para que se possa encontrá-las. . .

Luiz Rosa Jr.